Por que Os Mercenários divide tão claramente crítica e público?

domingo, 15 de agosto de 2010

os-mercenarios-poster Desde que o elenco de Os Mercenários foi anunciado ele se tornou um dos filmes mais esperados de 2010. A reunião de praticamente todos os grandes astros de ação das últimas décadas com certeza era um motivo para pagar o ingresso. Então a estréia foi chegando e as primeiras críticas ao filme também. No geral todas elas foram péssimas, pelo menos por parte dos brasileiros.

 

Pablo Villaça, do Cinema em Cena, fez (como lhe é comum) um texto onde analisa os aspectos técnicos de um filme. Acho uma das melhores maneiras de se fazer uma crítica profissional. Abaixo reproduzo alguns trechos:

“[…]o ator-roteirista-diretor cria perseguições e lutas durante as quais se torna virtualmente impossível, para o público, compreender o que está acontecendo […]”

“[…]Mas se as cenas de ação fracassam, a coisa se torna ainda mais constrangedora quando os personagens abrem a boca em momentos supostamente empregados para o desenvolvimento da dinâmica entre eles[…]”

“[…]Os Mercenários já estabelece o tom que adotará desde a primeira morte vista em cena, que surge sangrenta, absurda e viabilizada por fracos efeitos visuais[…]”

o critico Já Isabela Boscov, da Revista Veja, admite não entender para quem o filme é direcionado e faz uma crítica raivosa (clique aqui para ver) contra a produção, talvez incentivada pelo episódio onde Stallone fez uma piada muito infeliz sobre o Brasil na Comic Con. No vídeo ela diz coisas como:

[…]Mickey Rourke na plenitude de seu visual abominação[…]”

[…]tem cena que é para ser profunda, comovente e que é só engraçada por que é feito daquele jeito[…]”

“Eu não sei para que é o filme, sei lá, o senso comum diz que ele é um filme pra macho.”

O elenco provavelmente se divertiu muito, mas muito mais do que qualquer pessoa na platéia.”

Existem outras destas críticas que você pode encontrar em jornais, revistas e sites. Por outro lado vejo pessoas pelo Twitter ou em sites de cinema que estão gostando muito do que vêem. A resposta do público inclusive na sessão onde assisti Os Mercenários foi bastante positiva.

 

Marcio Melo, do site Porra, Man! tem uma opinião mais próxima do público a quem a produção se dirige:

“Saí do cinema me sentindo uma criança feliz vendo um antigo sonho meu ser realizado.”

“O grande trunfo de “Os Mercenários” é misturar cenas competentes e bem trabalhadas com doses certeiras de humor e boas piadas. Saber rir de si mesmo é uma das maiores dádivas que o ser humano pode ter, e o filme trabalha muito bem essa questão,[…]”

Para mim o pior defeito do filme é o seu roteiro, que esquece de alguns detalhes jogados na trama, como as motivações do personagem de Jet Li ou o de citar ao menos o que aconteceria na ilha, agora que todo o exército foi assassinado.

mercenarios_banner

Quando a crítica da Veja diz que não sabe para quem o filme foi feito, eu aqui me apresento. Eu cresci nos anos 80 com produções como Comando Para Matar, Tango & Cash, Cobra, Soldado Universal e Duro de Matar. Para mim ver um cast deste em um único filme é como voltar a infância. É assistir mais um daqueles filmes de ação que tanto me divertiram. Talvez minha percepção das falhas do roteiro tenha vindo com a idade, coisa que aos 10 ou 12 anos eu nem me importaria.

 

Se alguém quiser fazer uma refilmagem de qualquer filme de ação da década de 80, esta é a maneira. Com o mesmo espírito, mas atualizando a tecnologia da produção.

 

A já citada piada de Stallone sobre o Brasil foi infeliz e ele mesmo já pediu desculpas oficialmente ao povo brasileiro, mas isso não afetou minha experiência cinematográfica. Morgan Freeman passou por um escândalo recentemente ao se casar com a própria neta de criação, mas isso não afetou minha opinião sobre O Cavaleiro das Trevas. Roman Polanski tem uma acusação de pedofilia contra ele e não vejo os críticos serem afetados por isso. Portanto pergunto se a piada de Stallone é realmente um motivo a mais para odiar o filme?

 

Sobre as críticas e críticos eu só tenho uma coisa a dizer. Nunca deixe de ver um filme porque  alguém disse que ele não presta. Seu gosto com certeza é diferente do meu, que é diferente do deles. Eu deixo de ver um filme se ele não me parece bom, se sua história me parecer chata ou desinteressante antes mesmo de sua estréia. Com certeza Isabela Boscov adorou diversos filmes de Ingmar Bergman ou de Woody Allen que eu achei insuportáveis.

8 comentários:

Marcio Melo 15 de agosto de 2010 15:31  

Mandou muito bem Dmitry, e não foi porque fui citado (muito obrigado por isso).

Claro que se formos analisar friamente encontraremos diversos erros ou falhas, mas na boa, "foda-se", eu fui realizar um sonho antigo, ver aqueles caras reunidos mandando tudo pelos ares. Eu sai extremamente satisfeito do cinema.

Nunca me deixo levar por opiniões alheias e jamais incito as outras pessoas a seguirem as minhas.

Cada um sabe do que gosta.

RAMON(ES) 15 de agosto de 2010 17:11  

Interessante esse post.
O problema é que as vezes os críticos não sabem avaliar um filme de maneira certa, achando que todo filme deve ser analisado da mesma maneira.

Murdock 16 de agosto de 2010 08:26  

O críticos do Brasil devem ter tentado descarregar a raiva pela piada do Stallone. Se bem que crítico no Brasil em geral gosta de filme brasileiro, especialmente os que mais ninguém gosta.

Não vi o filme ainda mas sei que realmente muitas cenas de ação atualmente são tão confusas que você não sabe quem mata e quem morre.

Quanto a piada do Stallone, acho que na verdade nós somos a piada.

Lud 17 de agosto de 2010 21:34  

adorei seu comentário, parabéns!

Lak 18 de agosto de 2010 10:43  

Dmitry, as suas resenhas sobre os filmes sempre me interessam mais do que os críticos e as Vejas da vida. Talvez porque você escreva melhor? hihihi
No mais, concordo com a parte que você diz que o comportamento moral do ator não diz nada sobre os trabalhos dele. Ou pelo menos, não deveria dizer, a menos que a inquisição esteja de volta.
Não vou ver o filme pq tenho preguiça de ver esse tipo de filme. Não veria nem se o Stallone tivesse dito o que todo mundo diz "O Brasil é lindo e quero voltar logo". Será que todo mundo fala sério?
Beijocas

AT 18 de agosto de 2010 19:32  

excelente! parabens! tu tem razao em tudo que escreveste.

Paul 20 de agosto de 2010 18:40  

Muito bom post.

Acerdito que os críticos não gostaram do filme pelo simples fato de não ser destinado, de maneira alguma, a eles.

Concordo que ha falhas no roteiro, mas o discordo do autor do post de que a motivação de Jet Li ter seguido Stallone sem questionar tenha sido esquecida. Fica claro que da garagem Stallone ia direto para a ilha. Jet Li, sem pensar duas vezes foi com o amigo, pro que desse e viesse. Acredito que isto não foi explicado, pois não é necessário.
Não é a toa que ao chegar no avião, todos ja estão esperando. Acontece apenas que Li foi mais "espontâneo".

Anônimo 6 de setembro de 2011 23:10  

Aaaaah pelo amor de Deus, a gente num quer saber da historia, quer ver é porrada, ! Vai tomar no cu seu critico ! <3

Related Posts with Thumbnails

  © Free Blogger Templates Columnus by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP  

Google+