Ainda existe espaço para animações em 2D

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

2dvs3d Em 1995 a Pixar mudou o rumo do cinema de animação com o lançamento de Toy Story, o primeiro desenho totalmente feito por computadores. Naquela época a tecnologia ainda era nova, não pipocavam tantas produções deste tipo e o mercado de animação ainda era dominado pelas produções tradicionais, chamadas de 2D.

 

De lá para cá muitos outros sucessos de público e crítica como Shrek, UP – Altas Aventuras e Wall-E chegaram aos cinemas e os desenhos tradicionais foram perdendo força. Boas produções como Caminho Para El Dorado, Anastácia e outros feitos da maneira tradicional amargavam perdas nas bilheterias. Por isso me pergunto se existe realmente uma grande diferença entre um tipo de animação e outra.

 

Eu cresci nos anos 80, assistindo clássicos da Disney, Akira, Transformers (não o do Michael Bay) e outras animações feitas antes que os computadores assumissem tudo. Para mim uma boa história, personagens bem desenvolvidos e uma produção bem feita sempre foram fatores mais importantes do que se o filme era feito por computador ou não.

 

Por causa disso levanto a questão: será que animações em 3D como Os Incríveis, UP, Shrek e várias outras, se fossem feitas através das técnicas tradicionais de animação dariam certo? Ou será que o público quer mesmo desenhos feitos por computador por que é moda?

 

princesa e o sapo Recentemente a Disney fez uma arriscada aposta ao lançar A Princesa e o Sapo, uma tentativa de reativar os desenhos clássicos com princesas, assim como Branca de Neve ou A Pequena Sereia. O resultado foi bom, mas menor do que o esperado, arrecadando 104 milhões de Dólares nos EUA e 267 milhões pelo mundo. Será que se o desenho fosse feito através de computadores tudo seria diferente?

 

Parece que até mesmo o estúdio do Mickey desistiu das animações tradicionais, pois este ano estreará Enrolados (trailer abaixo), uma releitura moderna do clássico Rapunzel feito por computadores.

 

 

O país que deu ao mundo o clássico Akira parece ser um dos últimos lugares onde a animação em 2D parece ter um nicho permanente. Lá desenhos como A Viagem de Chihiro e Ponyo – Uma Amizade que Veio do Mar ainda fazem sucesso e comovem pessoas em todo o mundo. Será que o público que assiste estes desenhos é diferenciado?

 viagem_de_chihiro

Deixo agora a filosofia na sua mão. Você acha que existe espaço ainda para este tipo de animação? Desenhos feitos por computador que conquistaram grande bilheterias teriam chances se fossem animados da maneira tradicional? Você assistiria Wall-E ou UP se não fossem CGIs?

8 comentários:

Rapunza 26 de agosto de 2010 09:34  

Sim, o povo que assiste "desenho japones" (animes são dos poucos estilos que usam a técnica 2D ainda, alem das "imitações de anime" que vem de todos os cantos, e produções de estudios não muito grandes) é totalmente diferente do publico do 3D.
O povo do anime é mais bitolado, mais maluco, mais "apaixonado", e o povo do 3D é mais técnico, é mais por diversão, não precisa acompanhar nada, tudo mais "sem compromisso".

Sou da leva 3D... Adoro uma boa animação, bem feita, com detalhes escondidos...

Navegador Mokafoo 30 de agosto de 2010 22:01  

Eu ja gosto de animes e não consigo pensar nestes animes em 3D, portanto acho que os publicos são mesmos diferentes.

Anônimo 31 de agosto de 2010 12:09  

Na minha opinião o + importante é uma boa história e não a técnica em que o desenho é feito. A Princesa e o Sapo é um filme 2D muito bem desenhado porém com história fraca. Vários filmes feitos em 3D pela Disney não foram grandes sucessos de bilheteria como Dinossauro, A Família do Futuro e Bolt. O filme Encantada apesar de não ser todo em animação foi um sucesso e com 2D.

Matheus 20 de janeiro de 2011 16:47  

Nossa de onde veio a ideia de quem gosta de 3D "é mais técnico, é mais por diversão, não precisa acompanhar nada, tudo mais "sem compromisso"" e que "O povo do anime é mais bitolado, mais maluco, mais "apaixonado"" ? Mais técnico? É mais por diversão? Então não há tecnica nas animações tradicionais? Os últimos filmes da Pixar são tão descompromissados assim? POis saiba que na Europa tanto as animações 3d quanto as 2D tem o mesmo espaço e sucesso. Não podemos esquecer que o anime no Japão é algo totalmente culturalizado, todos lá consomen anime e mangá, então se vc realmente acha isso extenda isso para a população japonesa. E a Disney não abandonou a animação tradicional, retomou a uns anos inclusive, e lançará um filme do Pooh desse modo. Não é pq ela vai lançar um filme em CGi que ela abandonou a animação tradicional; se ela é uma grande produtora então ela deveria utilizar todos os meios para fazer grandes filmes

Rodrigo 4 de julho de 2011 18:21  

Fui criança nos anos 80 também, cresci vendo desenhos animados em 2D. Até gosto de muitos filmes em 3D, "Os Incríveis", "Procurando Nemo" são meus preferidos nesse estilo. Mas confesso que prefiro as animações tradicionais, pela estética, pelo aspecto mais aconchegante e fantasioso na minha opinião, e os clássicos da Disney são um tesouro, com sua arte e um ar menos debochado que o das atuais animações.

Anônimo 31 de outubro de 2011 23:39  

O fato é, na época em que os desenhos eram todos em 2D, as histórias eram melhores também. Muitos filmes com animação 3D pecam muito na história... o que os deixa deveras sem graça, o mesmo se aplica à jogos, como a saga da LucasArts Ilhas dos Macacos, esmagadora maioria dos que jogaram os 3 primeiros jogos (2D) afirmam serem muito melhores que os 2 últimos, que são em 3D, onde a história se tornou cada vez mais banal

Jhonny 8 de dezembro de 2011 11:23  

Também vejo que os publicos são diferentes, principalmente pela difrença nas técnicas utilizadas para o desenho dos personagens. Gosto de ambas as técnicas e sou muito crítico, então me sinto a vontade em poder dizer que como técnicas, ambas são excelentes, só que depende da mão do artista e do gosto do publico. Não dá para agradar a todos, mas deve existir espaço para todos. Então o espaço para as animações 2D existe e espero que sempra exista.

Lorena Luz Santos 6 de abril de 2012 16:41  

Eu cresci nos anos 90, peguei o auge da animação tradicional Disney e também tive oportunidade de desfrutar dos desenhos em 3D.
Eu continuo assistindo animação como se fosse criança, não importa a técnica, o que importa é o resultado, isto é, o conjunto enredo e visual devem conversar/combinar.
Eu até gosto de animações caricatas, mas não gosto de exageros.
Então, na minha opinião o que vale é a alma do desenho ser uma só, não tentar fazer malabarismos com a técnica ou tentar encaixar diálogos mornos e sem sentido para a trama. Pois, animação é algo que nos lembra a época de infância/inocência, assim deve haver aconchego e fantasia na técnica além de cuidado com as palavras.

Related Posts with Thumbnails

  © Free Blogger Templates Columnus by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP  

Google+