Mulher passa 18 anos lutando para libertar o irmão

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Hoje estava olhando alguns trailers novos e me bati com o filme Conviction, baseado em uma história real, que contarei abaixo. Estrelado por Hilary Swank (ganhadora do Oscar por Menina de Ouro e Meninos Não Choram), Sam Rockwell (Lunar e Homem de Ferro 2) e Minnie Driver (O Fantasma da Ópera), o filme conta a história de Betty Anne Waters, uma mulher que passou 18 anos lutando para provar que seu irmão era inocente de uma acusação de homicídio. Confira o trailer abaixo.

 

 

A partir daqui vou contar a história real de Betty, portanto existem muitos spoilers sobre o filme. Não continue lendo se não quiser saber como termina.

 

Tudo começou em 1980, quando Ken Waters foi interrogado pela polícia no dia em que Katharina Brow foi assassinada em sua residência, que também havia sido roubada. Ele trabalhava de chef em um restaurante local, frequentado pela vítima.

 

O que era apenas um interrogatório se transformou em uma acusação de homicídio dois anos depois, quando o namorado de uma ex-namorada de Ken chamou a polícia dizendo que ele havia confessado o crime.

 

Durante o julgamento a família de Waters disse acreditar em sua inocência, afirmando inclusive que ele estava trabalhando na noite do crime. Para a infelicidade do acusado duas ex-namoradas dele, incluindo a mãe de sua filha, testemunharam dizendo que ele admitiu ter cometido o crime.

Betty_Anne_Waters _movie_Image_Sam_Rockwell_and_Hilary_Swank

Uma outra testemunha disse que Ken havia vendido a ela um anel que a própria havia dado a Katharina anos atrás. A mesma pessoa afirmou que o acusado odiava a vítima desde os 10 anos de idade, quando foi enviado para um reformatório por invadir a casa dela.

 

Sangue encontrado na casa da vítima foi testado e era do mesmo tipo do de Ken. Com isso ele foi sentenciado a prisão perpétua por homicídio em 1983.

 

Desacreditado e sem dinheiro Ken só tinha apoio em sua família, principalmente sua irmã Betty Anne. Ela passou a dedicar grande parte de seu tempo a missão de libertar seu irmão.

 

Mãe de dois filhos, trabalhando em um bar e sem o nível médio completo, ela começou a estudar e entrou para a escola de direito, apenas com o objetivo de ser a advogada do irmão e provar a sua inocência.

 

Enquanto estava na faculdade Betty começou a escrever para o Innocence Project, que se dedicava a libertar pessoas acusadas erroneamente através de provas de DNA.

 

Ela desencavou provas do julgamento do irmão esquecidas no porão da corte para conseguir testar o sangue encontrado na casa da vítima. Com a ajuda do advogado Barry Scheck e do Innocence Project, Betty conseguiu que o sangue fosse testado em 1999 e o resultado foi negativo, o sangue encontrado não era de seu irmão.

 

betty anne e ken waters Betty Anne e Scheck entraram com o pedido de um novo julgamento. Os promotores não se opuseram e Ken Finalmente foi solto em 2001.

 

Naquele ano 85 pessoas já tinham sido libertadas através de exames de DNA somente nos EUA. “O sistema legal funciona se você tiver o dinheiro para fazê-lo funcionar. Se você não tiver, vai acabar na cadeia” afirmou Ken no dia que foi libertado.

 

É incrível que esta frase seria bastante comum aqui no Brasil. Geralmente pensamos que em países mais ricos como os EUA a realidade da justiça é outra.

 

Infelizmente nem mesmo testes de DNA fizeram com que as pessoas em sua cidade natal o perdoassem. Os vizinhos de Katharina não acreditavam que ele havia sido libertado e ainda o culpavam pela morte dela.

 

betty anne e ken waters 2 Ken foi inspirado pela história da irmã a voltar para os estudos. Ele queria se tornar um investigador e solucionar crimes, começando pelo seu. Infelizmente seu sonho foi interrompido seis meses depois.

 

Ele estava saindo da casa da mãe, onde havia jantado, indo para a casa do irmão, quando supostamente pegou um atalho e ao tentar pular um muro de 4 metros e meio de altura caiu, fraturando o crânio. Ele foi encontrado inconsciente e sangrando. Depois de passar algum tempo no hospital acabou indo a óbito. Betty Anne afirmou que ele estava muito feliz em estar livre.

 

Um final melancólico para uma história incrível. Foi um caso de amor entre irmãos e principalmente de confiança, pois mesmo com todos dizendo o contrário Betty Anne nunca duvidou do irmão.

 

Não deixe de assistir Conviction, que tem estréia prevista para 2011, mas infelizmente ainda não tem previsão de chegar ao Brasil.

 

Fontes: Worst Previews, Truth In Justice

2 comentários:

Anônimo 21 de junho de 2010 02:37  

Achei essa história tão infeliz...Estão descobrindo vários condenados injustamente, e o pior é que nos EUA tem pena de morte. Se perder boa parte da vida na cadeia pelo erro do judiciário é absurdamente terrível, que tal ser executado no lugar de outra pessoa???

DRISVETZ 31 de dezembro de 2010 07:44  

Não acho que seja uma história infeliz, em um mundo onde nada mais que o dinheiro importa para as pessoas, ver uma história de dedicação, amor e perseverânça é incrível.
E o mais notável do filme, se tiver força de vontade, coragem e acima de tudo convicção a gente vai longe e consegue transpor qq obstáculo.
Não vejo a hora de assistir ou melhor saborear esse filme.

Related Posts with Thumbnails

  © Free Blogger Templates Columnus by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP  

Google+