Estamos todos desejando o fim do mundo?

quarta-feira, 24 de março de 2010

fallout-3 wasteland

O fim das coisas como elas são. Este tema anda muito presente na minha vida. Semana passada estreou O Livro de Eli (clique aqui para ver o trailer), filme onde o personagem do título vaga por um mundo destruído pela guerra nuclear. Atualmente voltei a jogar Fallout 3, continuação da série de sucesso que se passa em um mundo devastado por uma guerra nuclear. Estou lendo Celular, romance de Stephen King que mostra como o mundo é destruído da noite para o dia quando todos os celulares transformam seus usuários em loucos homicidas.

 

Entre outros títulos que tratam do assunto posso citar o futuro filme A Estrada, ou a franquia Mad Max. Existe também o livro A Dança da Morte, do próprio King, onde uma doença mata uma grande parcela da população. Não irão faltar em nossa cultura referências a obras que tratem do fim da sociedade e da eliminação da maior parte das pessoas. Eu me pergunto: “pra que tudo isso?”

 

mad max 2 A grande maioria da população passa grande parte de sua vida fazendo coisas que na verdade não queria estar fazendo. Ir para a escola quando existem mil coisas divertidas fora dela, trabalhar em um ofício que não é satisfatório ou estar preso a uma rotina que não deixa a pessoa feliz é uma constante para muitas pessoas. Talvez aí esteja o sucesso de histórias pós-apocalípticas.

 

Por mais dura que uma vida no mundo devastado possa parecer ela também apresenta uma libertação do molde escola/faculdade/trabalho/aposentadoria. Nestas histórias os personagens têm uma motivação primordial: a sobrevivência. Isso quando eles não estão em uma missão que salvará muitos sobreviventes. Isso dá a pessoa um senso de fazer parte de algo maior.

 

Em um mundo com tantos bilhões de pessoas é difícil alguém pensar que faz grande diferença no mundo e estas histórias mostram protagonistas que têm certeza disso. Acho que aí está a grande chave do sucesso.

 

Para nós, que estamos no mundo real resta a lição de que devemos fazer o melhor de nossas vidas. Procurar fazer algo que nos agrade. Recomeçar a vida, através de um planejamento, mas sempre procurando viver da melhor maneira possível. Não espere acabar o mundo para ser feliz.

explosao atomica

1 comentários:

cat-man 2 de setembro de 2011 17:41  

bem ir a escola não é ruim,é obrigação de todos,para ter o conhecimento,é muito triste ver uma pessoa que desconhece o proprio planeta.

já no caso ai só é a pessoa fazer um abrigo em um buraco e revestir com concreto(se possivel,chumbo)e armazenar tanques de oxigenio.suplementos alimetares,agua.

Related Posts with Thumbnails

  © Free Blogger Templates Columnus by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP  

Google+