Tratamento com larvas em ferimentos abertos discutido

domingo, 22 de março de 2009

A terapia de desbridamento larval é a utilização de larvas vivas de moscas para tratamento de feridas de difícil cicatrização. A larva de mosca medicinal deve ser estéril e originária de criadouros especializados.
Este tipo de tratamento foi descoberto acidentalmente em condições de campos de batalha, teve seu auge nas décadas de 1930 e 1940 e atualmente tem sido utilizado em muitos países. Ainda que pareça asqueroso, larvas tem uma longa história de participação na medicina. O cirurgião de batalha de Napoleão era um entusiasta deste tipo de tratamento, e os vermes foram usados também durante a Guerra Civil Americana e em trincheiras na Primeira Guerra Mundial.
As larvas aplicadas na ferida promovem a cura por meio de vários mecanismos, como liquefação do tecido necrosado, remoção das bactérias, secreção de substâncias que auxiliam a cicatrização e estimulam o crescimento de tecido de granulação, entre outros. A aplicação é relativamente simples, sendo um tratamento não dispendioso que promove bons resultados onde algumas vezes as terapias convencionais não foram efetivas.
A terapia larval funciona porque as larvas comem apenas tecido morto, deixando um ferimento limpo.
As larvas realmente limpam ferimentos mais rápido que o tratamento tradicional, mas de acordo com estudo clínico controlado de tratamento larval divulgado recentemente, isso não leva a uma cura mais rápida.
Alguns pacientes consideram esta terapia mais dolorosa, de acordo com o estudo no British Medical Journal.
Recentemente médicos especialistas tem dado atenção às possibilidades destas criaturas, incluindo seu potencial para a prevenção de infecções perigosas, como MRSA (Staphilococcus aureus resistentes à Meticilina).
Os pesquisadores da Universidade Britânica de York recrutaram 267 voluntários com úlceras venosas nas pernas e os trataram com larvas ou com hydrogel, um produto padrão para limpeza de ferimentos.
Não foram encontradas diferenças significativas de resultado ou custo. O pesquisador Nicky Cullum declarou que não parece valer a pena utilizar o tratamento neste grupo de pacientes em particular, se o objetivo for uma cura mais rápida.
Ainda assim, as larvas podem demonstrar vantagens em algumas áreas especializadas, como a preparação de pacientes para enxertos de pele, quando a maior rapidez na limpeza dos ferimentos possibilita que os pacientes recebam a cirurgia mais rapidamente.
Ainda serão necessários mais estudos para definir realmente em que casos a terapia com vermes é mais indicada.
O vídeo abaixo demonstra o tratamento de uma ferida em pé de paciente diabética com larvas.




Fontes: Unicamp, Reuters

Related Posts with Thumbnails

  © Free Blogger Templates Columnus by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP  

Google+