10 terríveis instrumentos de tortura

segunda-feira, 23 de março de 2009

Não pense que a tortura não existe mais só porque estes instrumentos são velhos. Infelizmente esta é uma prática ainda muito utilizada e que só se desenvolveu. Os itens abaixo saíram da Rússia e precisam pertencer a um museu para nos lembrarmos de como os seres humanos podem ser terríveis.

A Máscara da Infâmia (The Mask of Infamy)

Este não era exatamente um instrumento de tortura. Na verdade ele servia para que a pessoa passasse vergonha publicamente. Algum coitado deveria usar este capacete pelo tempo determinado por seu acusador. A pessoa geralmente era amarrada a um poste onde os passantes podiam dar uma torturadinha ocasional.


A Filha do Varredor de Ruas (The Street Sweeper’s Daughter)

Seu nome é provavelmente uma homenagem a um instrumento semelhante que existia em Londres chamado Scavenger's Daughter. Este é um instrumento de contensão extremamente doloroso, que causa dores musculares agudas, além de resultar em sangramento das orelhas e do nariz. As pessoas que passaram por este instrumento iam do estado de sofrimento para a loucura.



The Jerking

Bastante utilizado em tribunais por ser visto como um instrumento de tortura leve, o Jerking consistia em amarrar as mãos da vítima por trás das costas e depois pendurá-la em um posição altamente desconfortável. Se a pessoa não estivesse cedendo ao interrogatório, bastava pendurar um peso em seus pés como visto na figura abaixo.



Tortura da Água (Water Torture)

Consistia em uma peça de madeira onde o torturado poderia ficar bem amarrado. Uma vez que o coitado está imobilizado a "diversão" (veja a figura) começava.



A Cadeira da Bruxa (The Witch’s Chair)

Se você colocar tortura e bruxa no mesmo lugar, pode saber que coisa boa não vem. Para retirar confissões de bruxaria (puníveis com a morte), torturadores sentavam mulheres nuas nestas cadeiras que tinham os descansos dos braços e das costas revestidos de espinhos de ferro.

Algumas vezes as sessões de tortura duravam mais de 24 horas e nenhuma confissão era feita. O que provava a bruxaria da mulher, que era punida com a morte. Me pergunto como seria possível escapar da acusação de bruxaria neste caso.



O Esmagador de Cabeças (The Head Crusher)

O nome já diz tudo, mas saiba que existiam duas formas de se usar este aparelho. A primeira pode ser vista na figura abaixo. A segunda era colocando o queixo da pessoa na barra de baixo e esmagando a cabeça até os dentes quebrarem, a maxila despedaçar, os olhos soltarem de suas órbitas e por fim o cérebro sair pelas orelhas.



The Rack

Um clássico do mundo da tortura, o Rack já fez participação em diversos filmes que retratavam os tempos medievais. Os braços e as pernas da vítima eram amarrados e puxados em sentidos contrários esticando o torturado até seus ossos se deslocarem.



O Suporte Guiado(The Guided Cradle)

Usado aparentemente como uma forma de empalar lentamente uma pessoa. O instrumento tem a forma de uma cadeira com uma seta no lugar do assento. Seja como for a imagem abaixo dá uma idéia do quão doloroso devia ser sentar nesta abominação.



A Serra de Mão (The Hand Saw)

Usada até hoje para cortar madeira, esta serra é utilizada em um dos rituais de tortura mais bizarros que já ouvi falar. A vítima é pendurada de ponta cabeça para que o cérebro seja irrigado com sangue e a pessoa não morra imediatamente. Isso também era feito para que o sangramento fosse minimizado, aumentando o tempo de consciência durante a tortura. Depois a serra era usada para cortar a pessoa na metade, assim como mostrado na figura abaixo.



A Cadeira da Tortura (The Chair of Torture)

Esta é uma evolução da Cadeira da Bruxa, onde toda a cadeira é revestida de pontas de ferro que podem ser aquecidas. Os braços e pernas da vítima eram amarrados através de pulseiras de metal com pinos mais bizarros que os da cadeira.

Como nenhum órgão vital era atingido, a pessoa poderia ficar sentada neste instrumento por mais de um dia, onde o interrogatório era acompanhado por pessoas que posteriormente iriam ser questionadas na mesma posição. Neste caso acho que confessavam o que faziam e o que nem imaginavam fazer.

Mesmo sendo um aparelho da Idade Média, a cadeira foi usada até o século XIX, mostrando que a apreciação pela tortura durou muito na Rússia.




Com tanta evolução, me pergunto quais serão os mais sombrios apetrechos usados durante torturas atuais.

Fonte: Environmental Graffiti

25 comentários:

culatra 24 de março de 2009 02:06  

É nessas horas que eu gostaria de não ser humano.

Uma vez lí um livro de um acadêmico Brasiliense sobre a Dinphyne, a Deusa da Loucura. (Acho que esse era o nome), e o cara mostrava várias outras formas de tortura, com ilustrações e tudo. Uma pena que o livro era cansativo e o autor era um pedante, mas tinha trechos interessantes.

Japonelvis 25 de março de 2009 10:28  

cnicas é mais torturante que Big Brother e axé baiano e/ou pagode. Crueldade sem limites.

Clara 25 de março de 2009 12:25  

que comentário infeliz, einh, Japonelvis? Não sou fã de nenhuma dessas coisas que você citou, mas compará-las a esses objetos é de uma ignorância deprimente.

Felipe 25 de março de 2009 14:45  

Bom, na minha opinião todas são aterrorizantes, mas a mais desgraçada eu acho q é a da serra de mão, e a outra q esamaga o cranio até sair cerebro pela orelha... x)

exoticlic 25 de março de 2009 15:32  

ai credo cruzes isso doeu em mim nõa sei lhe dizer o qual seria o menos ruim encarar mas esta ultima cadeira, e aquele que desloca os ossos é o mais assustador

Blog do Adulto 25 de março de 2009 16:19  

Concordo com o Japonelvis, Big Brother é crueldade extrema !!!

Tranceman 25 de março de 2009 20:53  

Isso me lembrou de uma série do Discovery, chamada Armas Mortais

Cara, tinha um tipo de boi de metal oco por dentro. Eles colocavam as vítimas dentro dele e punham fogo embaixo. Sinistro...

FLWS!!!

Raoni 26 de março de 2009 11:52  

Muita tortura em tudo, inclusive em alguns comentários rídiculos de algumas pessoas =/

Adoni 26 de março de 2009 17:51  

Há uma característica não citada na TURTURA DA ÁGUA: a pessoa era amarrada ao aparelho, com as costas colocadas na parte do meio do instrumento, e através de funis ou mangueiras, enchiam-lhe de água (bexiga, estômago, etc). Quem não morresse já nessa fase (de afogamento ou asfixia) morria com o que vinha depois: as pessoas pulavam sobre a barriga do "inquisitor"...

Adriano Pellim 27 de março de 2009 17:09  

Este post está nos Links de Quinta no Tramboio. Acesse http://tramboio.blogspot.com

Jaum Bello 28 de março de 2009 14:32  

Valeu pela visita.
abs

Francisco 30 de março de 2009 13:22  

Mais do q apenas ler sobre isso, eu vi de perto esses mesmos instrumentos de tortura. Simplesmente é de arrepiar o pelo do saco!!!

fernanda 2 de novembro de 2009 17:50  

A crueldade humana parece não ter limites.

Cristine 11 de fevereiro de 2010 14:42  

[quote=Japonelvis]cnicas é mais torturante que Big Brother e axé baiano e/ou pagode. Crueldade sem limites.[/quote]

shauhsuasuahsuahsuhaushaushau...
verdade! ^^
mas esses daí tbm devem doer um pouquinho...

Anônimo 4 de abril de 2010 09:11  

legal
japonelvis concordo c voce!

ju-boka-loka 16 de novembro de 2010 14:39  

gostei muito isso me ajudou muito no trbalho escolar isso e muito esselente

Novoa 1 de junho de 2011 14:09  

Bom para tratamentos de lordoses, espinhela caída, hemorróidas, dor nusquarto e nascadera, traumas e vozes da cabeça!


PS: É brincadeira tá! Absurdo total a construção engenhosa para tais fins, a não ser para o SAC aqui da empresa, uma cadeira dessas cairia bem!

Anônimo 18 de junho de 2011 02:51  

Esqueceram de mencionar Vlad Tepes, conhecido como Conde Drácula, as torturas dele eram bizarras, a mais bizarra era a impalação, enfiavam uma estaca no ânus da vítima a golpes de marreta até sair pela boca, uma vez dois mensageiros distantes foram até seu palácio,Vlad ordenou que tirassem seus turbantes para ver seus rostos, eles se recusaram devido sua religião e cultura, então tiveram seus turbantes pregados na cabeça.

Andressa 30 de setembro de 2011 10:39  

Também não Mencionaram a mesa de evisceração, ou de esquartejamento manual. Nesse instrumento, o condenado era colocado deitado, preso pelas juntas e eviscerado vivo pelo carrasco. O carrasco abria-lhe o estômago com uma lâmina, prendia com pequenos ganchos as vísceras e, com a roda, lentamente ia puxando os ganchos.

Os órgãos iam saindo do corpo da vítima durante horas, até que chegasse a morte. Alguns condenados permaneciam vivos durante dias depois de eviscerados, pois o carrasco tinha a habilidade de extrair das vítimas os órgãos não-vitais. Esse suplício esteve em uso em Portugal e na Espanha, de 1300 a 1800.

Andressa Aparecida 30 de setembro de 2011 10:40  

Também não Mencionaram a mesa de evisceração, ou de esquartejamento manual. Nesse instrumento, o condenado era colocado deitado, preso pelas juntas e eviscerado vivo pelo carrasco. O carrasco abria-lhe o estômago com uma lâmina, prendia com pequenos ganchos as vísceras e, com a roda, lentamente ia puxando os ganchos.

Os órgãos iam saindo do corpo da vítima durante horas, até que chegasse a morte. Alguns condenados permaneciam vivos durante dias depois de eviscerados, pois o carrasco tinha a habilidade de extrair das vítimas os órgãos não-vitais. Esse suplício esteve em uso em Portugal e na Espanha, de 1300 a 1800.

Anônimo 6 de abril de 2012 13:24  

Andressa, tem fotos desa delicia?

Adrianne 16 de maio de 2012 20:15  

Meu Deus do céu... Cada vez que conheço melhor o ser humano, gosto mais do meu cachorro '-'
Até onde o humano pode ser... ridículo, escroto, infeliz de fazer "justiça" com as próprias mãos??

Judith 24 de maio de 2014 15:41  

Bela dica vou usar

Anônimo 24 de maio de 2014 15:42  

Bela dica vou usar

Cezar Augusto 27 de outubro de 2016 16:40  

Deus do Céu, quanta loucura. O homem não me surpreende mais.

Related Posts with Thumbnails

  © Free Blogger Templates Columnus by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP  

Google+