O mundo moderno exige que você se drogue: remédios para melhora cognitiva

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

cerebro brilho Este tópico já foi abordado em diversos livros e filmes de ficção, mas agora está fazendo parte da mais pura realidade. A vida moderna exige que você seja muito mais produtivo do que seu expediente permite. As pessoas precisam ser multitarefas e desempenhar diversos papéis sem ficarem completamente malucas.

Nos EUA uma nova onda está tornando mais simples a vida de quem precisa trabalhar contra a concorrência, os medicamentos controlados utilizados para o aumento da cognição (conhecidos como cognitive enhancement). Alguns dos remédios já são conhecidos de todos como o Ritalin, utilizado para pessoas com DDA (distúrbio de déficit de atenção).

Cada vez mais executivos de empresas e funcionários de Wall Street estão tomando este tipo de medicamento com o objetivo de não deixar a carreira esfriar e sempre estar a frente da concorrência.

Estudantes universitários americanos também estão partindo para a mesma rotina, tentando aumentar suas notas. Um estudo feito com 11 mil alunos em 2005 aponta que 7% deles já usaram este tipo de medicamento ao menos uma vez. Pilotos militares também entram na dança pois o aumento na percepção e uma resposta cerebral mais rápida são muito úteis em missões perigosas.

O assunto se tornou tão presente no meio médico que um editorial da revista Nature, assinado por sete especialistas em bioética e neurocientistas, advogava a favor do uso deste tipo de estimulante. Não precisa dizer que uma avalanche de respostas negativas chegou à redação da publicação, mas não são todos que se apresentam contra o uso.

pilulas aumento inteligencia Logicamente o editorial apresentava as medicações como vantajosas para um mundo onde todos tivessem acesso a estes produtos de maneira igual e gratuita. Mas podemos começar pelo fato de que são remédios controlados, então você precisa de uma receita, para uma necessidade real. A maior parte dos usuários utiliza receitas falsas ou até mesmo algumas reais de familiares. Isso é ilegal, sem contar que os remédios não saem de graça, por isso os mais ricos estão na vantagem neste novo mundo.

Ninguém está falando na possibilidade de se viver em um mundo onde as pessoas são dependentes de medicamentos para atingirem o sucesso profissional. Esta terrível realidade poderia tornar muitas pessoas em viciados, uma vez que os reais riscos dos medicamentos só estão sendo pesquisados agora.

Martha Farah, uma das autoras do editorial da Nature, afirma que o melhor seria suspender o uso destes remédios até que seus riscos sejam verdadeiramente descobertos, mas justifica o fato de prescrevê-los dizendo que “o gênio já saiu da garrafa…”. (isso é uma justificativa médica?)

Um dos melhores argumentos veio de Leon Kass, para o President´s Council on Bioethics em 2003: “ Nós precisamos viver, ou tentar viver, como homens e mulheres verdadeiros, aceitando nossos limites finitos, cultivando os dons que nos foram dados e agindo de maneiras que são humanamente excelentes. Fazer o contrário é alcançar os nossos mais desejados resultados com o custo mais alto: conseguir o que procuramos, ou achamos que procuramos, deixando de ser nós mesmos.”

Você utilizaria remédios que podem se tornar um vício para atingir o sucesso profissional?

Fonte: Time

10 comentários:

Mestre Zen 7 de janeiro de 2009 02:24  

É difícil achar um limiar. Por um lado temos que nos desenvolver, ou seja, evoluir para atingirmos nossos desejos e propósitos produtivos. Por outro conseguir isso através de drogas que não compreendemos totalmente é um jogo muito muito muito arriscado.
Parece uma fórmula mágica, mas não conhecemos o preço ainda (só o monetário). Eu, por via das dúvidas, não arrisco com minha vida.

Dmitry 8 de janeiro de 2009 12:14  

Eu também não arrisco. Sem contar que um dos efeitos conhecidos é o vício (que ocorre em uma parte das pessoas).

ChumoLoco 12 de janeiro de 2009 13:12  

Acho que derepente eu realmente precisasse para uma prova ou um dia muito estafante, não veria problemas...

Anônimo 12 de janeiro de 2009 21:16  

na verdade eu já uso.

Bárbara 12 de janeiro de 2009 23:07  

Deus que livre, eu tento me isolar ao máximo desses estimulantes. Antes, as pessoas bebiam café para acordar. Aí veio o red bull e agora os remédios. Não sei onde vamos parar.

Já conheço muita gente que usa praticamente todo dia e aí você percebe porque a produtividade e o bom humor estão sempre lá em cima. Mas e na hora que não tem, o que faz? Se joga do prédio?

Jano Bifonte 17 de janeiro de 2009 11:57  

Existem informações nos "bastidores da Mídia mundial", aparentemente
reservados somente aos "políticos e cientistas", de que não fossem as drogas atuais (bebidas alcóolicas-tabaco-maconha-cocaína-LSD-Ecstasy-Heroína, etc), e, claro, as
drogas regulamentadas, as drogas televisivas e internéticas, distribuídas, repassadas e vendidas no mundo inteiro, a "torto e
direito", os seres humanos "comuns", que é a maioria de nós, estariam e seriam muito mais deprimidos, desestimulados, violentos, revoltados e
insatisfeitos, e por isso mesmo, "mais conscientes" da Vida e do que
Realmente ocorre no Planeta. Parece um paradoxo, mas não é. O que quero dizer é que "as autoridades mundiais", sabem o que segura e regula a revolta, a reação em cadeia, a concientização, e portanto a "Mudança"
mental profunda em toda da raça. Eles, ditos "líderes e intelectuais" da Raça atual, são em última instância, manipulados por forçãs "ocultas", que sequer deve ser citada. Alguns sabem, mas a maioria deles ainda não. Então, quando vemos notícias relacionadas ao uso, aos efeitos colaterais que causam, às consequências da má distribuição e à utilização dos mesmos, vem junto a constatação de que, mais do que nunca, "eles" não sabem o que fazer e muito menos como resolver isso. Isso o quê? Hora, o descontrole do consumo humano como um todo, cada vez mais "uma máquina
desembestada". Há cada vez menos controle e cada vez mais desequilíbrio na vida de superfície humana. Noutras palavras: Esta notícia, creiam meus amigos, é tão somente a "Ponta de Iceberg". Devemos, "acima de Qualquer
coisa" neste mundo", HOJE, AGORA, o quanto antes, nos voltarmos para o "único lugar seguro na Terra, o "Centro Interno dentro de nós"! Quem tem ouvidos de "ouvir", que ouçam e ajam! - Paz!

Dmitry 18 de janeiro de 2009 18:21  

Com certeza uma notícia destas é apenas uma pequena parte do que acontece. Mas Precisamos abrir os olhos antes que isso tome conta de nossas vidas.

Adriano G. De ARRUDA-BOTELHO, MD 29 de janeiro de 2009 10:45  

Não se trata de editorial da "Nature", mas, sim, de apenas um comentário publicado, conforme pode-se ler aqui:

http://www.nature.com/nature/journal/vaop/ncurrent/full/456702a.html

Dmitry 1 de fevereiro de 2009 17:21  

A revista Time dizia em sua matéria que se tratava de editorial, utilizando um link exatamente para a mesma página que você indicou. Por esta razão achava que se tratava de um editorial.

Mesmo sendo um comentário, ele foi publicado pela revista, portanto deve estar de acordo com a visão editorial da revista.

freefun0616 4 de novembro de 2009 07:48  

酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,酒店,

Related Posts with Thumbnails

  © Free Blogger Templates Columnus by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP  

Google+