Estupraram a mulher de Xico Bento. Resultado, capa o cabra!

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Isabel estava estudando para a prova de Odonto Legal de amanhã e encontrou uma verdadeira pérola do nosso judiciário.

O caso é o seguinte: Manoel Duda é um cara bizarro. Ele tentou fazer sem-vergonhices com donzelas da região, sendo sempre impedido pela polícia e acabou estuprando a mulher de Xico Bento. O caso foi parar na justiça e o Juiz Municipal Suplente Manoel Fernandes dos Santos aplicou uma dura sentença, cujos melhores momentos você confere abaixo.

"Considero-que o cabra Manoel Duda agrediu a mulher de Xico Bento, por quem roía brocha, para coxambrar com ella coisas que só o marido della competia coxambrar porque eram casados pelo regime da Santa Madre Igreja Cathólica Romana."

"Considero-que o cabra Manoel Duda deitou a paciente no chão e quando ia começar as suas coxambranças viu todas as encomendas della que só o marido tinha o direito de ver."

"Considero-que o cabra Manoel Duda é um suplicado deboxado, que nunca soube respeitar as famílias de suas vizinhas, tanto que quis também fazer coxambranças com a Quitéria e a Clarinha, que são moças donzellas e não conseguio porque ellas repugnaram e deram aviso a polícia."

"Considero-que o cabra Manoel Duda está preso em pecado mortal porque nos Mandamentos da Igreja é proibido desejar do próximo que elle desejou."

"Considero-que sua Magestade Imperial e o mundo inteiro, precisa ficar livre do cabra Manoel Duda, para secula, seculorum amem, arreiem dos deboxes praticados e as sem vergonhesas por elle praticados e apara as fêmeas e machos não sejam mais por elle incomodados."

"Condeno o cabra Manoel Duda pelo malifício que fez a mulher de Xico Bento e por tentativa de mais malifícios iguais, a ser capado, capadura que deverá ser feita a macete."

O juiz ainda xinga todo mundo em latim:

"Homine debochado debochatus mulherorum inovadabus est sentetia qibus capare est macete macetorim carrascus sine facto nortre negare pote."

O Brasil hoje não tem mais pena de castração (uma pena), mas em 1833 o juiz ordena que a esta sentença seja executada a macete, pelo carcereiro na própria prisão. Provavelmente o cabra Manoel acabou morrendo de infecção ou hemorragia na cadeia, onde passaria mais 30 dias.

Na minha opinião?

Filhodaputorum estupradorzorum tem que sefuderzorum e ser capadorum.

Existe uma controvérsia sobre qual seria na realidade a arma que capou Manoel Duda. Existem pessoas que acreditam se tratar de um machete, um facão como este abaixo.



O dicionário Michaelis diz que macete é um "instrumento de madeira com que se bate na costa da faca, para cortar casco de animais." A imagem abaixo representaria melhor a "ferramenta".



Isabel encontrou o texto no livro Estudos Médicos Legais, dos professor Luís Galvão. Você pode ler a íntegra no Pérolas do Judiciário clicando aqui.

3 comentários:

Anônimo 22 de novembro de 2008 20:32  

Tô em dúvida.

Fiquei sem saber se foi estupro mesmo.

Ou se a mulher de Xico Bento abriu as pernas com gosto pra um zé-ninguém desavisado.

Anônimo 23 de novembro de 2008 01:13  

"Ou se a mulher de Xico Bento abriu as pernas com gosto pra um zé-ninguém desavisado."
Isso é muito mais fácil de acontecer do que um estupro.

Dmitry 23 de novembro de 2008 08:14  

Com certeza em 1833 era muito fácil uma mulher abrir as pernas para um desavisado.

Pelo tom de ódio do juiz em sua sentença acredito que esta não foi a primeira confusão que Manoel Duda aprontou.

Related Posts with Thumbnails

  © Free Blogger Templates Columnus by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP  

Google+