Ferrari ameaça sair da Fórmula 1

terça-feira, 28 de outubro de 2008

O mundo está em crise e a mais famosa categoria do automobilismo não poderia ficar de fora. Todos sabem que a Fórmula 1 custa muito (MUITO) caro com seus pneus, motores, chassis e garotas.

A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) está criando uma série de regras que deverão diminuir os custos para as equipes. Isso ajudaria equipes menores, que recebem cotas de patrocínio menores, a sobreviverem. Mas entre as novidades sugeridas está a padronização dos motores, como acontece em categorias como a Stock Car e Fórmula Indy.

Isso tirou a escuderia italiana do sério, que afirmou em nota oficial concordar "completamente com a necessidade substancial de redução dos custos", masa que haviam reservas significativas" sobre qualquer proposta que levasse as equipes a usarem o mesmo motor: "Isso tiraria da F-1 o seu maior propósito de existência, que é a competição e desenvolvimento tecnológico. Se estes elementos ficassem obsoletos nosso conselho administrativo se rreserva ao direito, após consulta com seus parceiros, avaliar se continuaremos comprometidos com a F-1".

O argumento da Ferrari é correto em parte, afinal uma das maiores características da categoria é o desenvolvimento tecnológico, que já teve várias de suas invenções trazidas para as ruas. Mas ao mesmo tempo colocar motores iguais para cada equipe aumentaria a competitividade entre equipes, deixando o maior diferencial nos pilotos e na aerodinâmica.

Esta não é a primeira vez qie a Ferrari mete o bedelho nas decisões da FIA. Em 1986 a equipe fez com que a Federação voltasse atrás na decisão de banir os motores V12 das competições.

O vice-presidente de Fórmula 1 da Toyota fez coro às reclamações da Ferrari afirmando que nenhum dos construtores de motores ficaria feliz com esta nova regra.

Fonte: Guardian

15 comentários:

Equipe TudoJunto 28 de outubro de 2008 17:29  

Eu assumo, sou fã da fórmula 1, mas não me ligo nessas notícias >.< A fórmula 1 tinha saído das mãos do piloto. Agora ela está voltando, mas ainda se ganha mais corrida pelo carro e tecnologias alheias do que pela capacidade do piloto. Não sou contra a tecnologia na corrida, mas para mim ela é apenas coadjuvante.

Anônimo 30 de outubro de 2008 00:46  

nem tão ao céu, nem tanto a terra... ta certo q a competitividade e papel dos pilotos devem ser maximizados... agora padronizar os motores é um absurdo, além de acabar com a inovação técnológica nesta área acabaria tbm com a vitrine dos construtores... é de grande interesse para honda, ferrari, mclaren, williams, renaut etc... mostrar sua evolução no desenvolvimento de motores. E afinal é o nome do construtor q batiza a equipe na maioria dos casos.

Anônimo 30 de outubro de 2008 01:02  

O desempenho das equipes é um show a parte que deve ser apreciado.
Deixem as equipes brilharem.
Padronizar o motor seria fazer as equipes terem um papel coadjuvante que não as cabe.

Lee 30 de outubro de 2008 02:59  

querer as duas coisas nao dah mesmo. se F-1 for esporte, entao padronizem os motores. Agora se a F-1 for um laboratorio de pesquisas, deixe como está.
eu prefiro como esporte. F-1 nunca foi a mesma desde que o Senna se foi, mas aí é outra historia

Daniel 30 de outubro de 2008 09:32  

Depende para o que voce torçe...
os italianos nao querem saber se o piloto campeao vai ser brasileiro ou finlandes... eles torcem para ferrari!

Dmitry 30 de outubro de 2008 10:18  

Eu particularmente gosto da F1 como laboratório, pois assim temos diversas inovações que estarão nos nossos carros em algum tempo.

Além disso volta e meia aparece alguém como Senna que dribla as adversidades técnicas para brilhar acima das máquinas.

Thyago 30 de outubro de 2008 14:27  

Tem que padronizar, pois assim vence o melhor piloto, nao o melhor carro.

Anônimo 30 de outubro de 2008 17:15  

A Ferrari esta certa. O desenvolvimento do carro e a habilidade do piloto sao a alma da formula um. Nem soh um, nem soh outro.

Quem quer assistir automobilismo competivivo, vai assistir galvao bueno narrando corridinha do filho dele na stock car.

Anônimo 30 de outubro de 2008 17:59  

Sugiro que este tal de Bernie Eclestons, na diretamente ao se objetivo e crir o Campeonato Mundial de PATINETE formumula 1. Ou vejamos; excluiu o turbo dos motores, o efeito das saias na estabilidade, redução de potencio dos motores(Tudo até aqui, muito perigoso para pilotos que ganham U$ milhões),não satisfeito baniu o pneu slik, aumentou a altura minima dos carros, aumentou o peso, pneus de um unico fabricante e se for pautar controle dr tração, esse senhor que NÃO GOSTA DE EVOLUÇÃO, deveria estar em casa fazendo tricô. Acabaram com a formula 1 Vina a Formula Truck.

BujaMG 30 de outubro de 2008 19:03  

É galera, se essa decisão da FIA pegar, eles acabam de perder um fã de F1.....
Que graça tem assistir uma corrida de stock car????
Pra mim, seria a mesma coisa...
A F1 é o que é graças a rivalidade dos construtores e a busca constante de tecnologias pra superar os concorrentes!!!!

Anônimo 30 de outubro de 2008 20:03  

Estamos nos esquecendo de uma coisa importante e a principal desta materia: A crisis mundial...

Daqui a pouco a Ferrari vai ser um carro electrico correndo a 100 km por hora é tendo que recarregar as baterias cada 10 voltas...

Porque a crisis não é somente economica, tambem o fato da falta de petroleo e gas...

Der Hexenhammer 30 de outubro de 2008 21:38  

Falaram do Senna... Aquele bosta, Zé Chuvinha, só ganhava com o melhor carro e em dias de chuva... Quando chegou Schummi, o rei, começou a tomar pau e deu SORTE DE MORRER antes de ser humilhado...
Sem comentários.
Depois que Schumacher saiu F1 é uma bosta. Deixem ser pista de testes de tecnologia mesmo!

Anônimo 31 de outubro de 2008 16:13  

Lave a sua boca pra falar do Senna seu babaca!

Edu Campos 2 de novembro de 2008 16:06  

Bom, o fundador da Ferrari sempre disse que "O que ganha campeonato é carro, não piloto", por isso é mais do que normal que a Ferrari seja contra uma coisa dessas...

Antonio Cardoso 28 de maio de 2009 00:07  

Sinceramente, esses caras da FIA estão querendo acabar com a F1. A beleza da categoria, para mim, é justamente a busca à perfeição, do melhor motor, e isso é até mesmo beneficial para a indústria automobilística... Se eu quisesse ver uma porcaria genérica, eu iria assistir formula indy.

Acho que o presidente da FIA deveria voltar a fazer orgias, parece que isso é apenas o que ele sabe fazer.

Related Posts with Thumbnails

  © Free Blogger Templates Columnus by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP  

Google+