Review - A Era da Escuridão

domingo, 7 de setembro de 2008

Já faz um bom tempo que não faço um review de algum filme, mas ter assistido ontem A Era da Escuridão me fez pensar em dividir esta experiência com vocês. A produção é baseada no jogo de RPG The Mutant Chronicles e pelo que pude descobrir do jogo muita coisa foi cortada para caber em um filme só. O que se mostrou acertado uma vez que a dificuldade em lançar este filme nos EUA deixa muito claro que não haverá uma seqüência. Para você ter uma idéia ele só estreou na Grécia, Rússia e Brasil.

O diretor Simon Hunter sabia desde o começo que não seria fácil financiar um filme que conta com um roteiro tão pretensioso, com cenários grandiosos e diversas cenas de ação. A solução achada por ele foi utilizar a mesma técnica empregada no filme Capitão Sky e o Mundo do Amanhã (clique aqui para ver o trailer) com praticamente todos os cenários feitos por computador.

No filme a Terra teve seus recursos praticamente esgotados e os países se tornaram grupos empresariais, comandados por 4 empresas, que vivem em guerra para conquistar o espaço e o recurso dos outros. Isso forçou a volta ao tempo das coisas movidas a vapor, o que dá ao filme um clima misturado entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial. Tanto nas máquinas quanto nas roupas tudo é um pouco baseado no passado.



O filme apresenta também a história de uma máquina, que chegou do espaço e começou a transformar as pessoas em necromutantes, seres mortais que só querem aprisionar mais pessoas para serem transformadas pela máquina. Isso aconteceu há séculos e a máquina, com seus mutantes foram aprisionados embaixo da terra em uma localização esquecida no tempo.

A Guerra entre duas empresas abriu acidentalmente o selo e liberou os mutantes. Despreparados para tal desafio as empresas começam a evacuar o planeta levando o máximo de pessoas possível. Um sacerdote chega aos governantes e apresenta uma profecia que pode salvar a Terra. Ele precisa recrutar um grupo de guerreiros para ir ao centro da máquina e destruir ela de uma vez por todas.

A partir daí o filme lembra muito um jogo de RPG mesmo, com descrição de personagens, diferentes classes e muitas batalhas. Um detalhe que achei muito legal foi a maneira como o sangue é estilizado, vermelho brilhante.

O elenco está recheado de nomes relativamente conhecidos começando por um dos atores mais subestimados do cinema atual, Thomas Jane (O Nevoeiro) que encarna o herói justo e renegado. Ele aqui não está em um grande filme, mas se sai bem como protagonista. O sacerdote é interpretado pelo Hellboy em pessoa Ron Pearlman, que pode atuar ser estar debaixo de tanta maquiagem. O elenco principal é completado por Devon Aoki (Sin City), Benno Fürmann (Speed Racer), Sean Pertwee (Equilibrium) e uma participação especial de John Malkovich (Beowulf) vivendo o líder dos humanos.

Vá na sua locadora e dê uma chance a uma adaptação bem divertida de um RPG que não teve muitas chances nos cinemas, afinal ele já está pronto há mais de um ano e nunca teve uma data de lançamento nos EUA. Confira abaixo um trailer do filme.


1 comentários:

Eduardo 7 de setembro de 2008 20:29  

Eu gostei do filme. Achei a história interessante (ainda sendo um fã de RPG) e ação também é legal. Com certeza A Era da Escuridão merece uma chance. =]

Related Posts with Thumbnails

  © Free Blogger Templates Columnus by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP  

Google+