Pais se preocupam mais com games do que com álcool e pornografia

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Um instituto de pesquisas americano realizou um levantamento anual com cerca de 3 mil pais sobre as preocupações deles frente a esta nova forma de entretenimento. Os resultados foram interessantes, mas parte deles foi até previsível, afinal a mídia faz um estardalhaço com qualquer relação entre um jogo e a violência que cada vez mais está presente em nossas vidas, nada mais normal que pais sem conhecimento de jogos eletr6onicos amedrontados.

A pesquisa What They Play, realizada em duas fases no ano de 2008, revelou que os pais americanos têm menos problemas em ver seus filhos bebendo cerveja ou assistindo pornografia a deixá-los jogarem certos títulos. Outro ponto interessante é que eles preferem que as crianças assistam violência a cenas envolvendo relações sexuais ou outro tipo de sexualidade.

O presidente do instituto What They Like, responsável pela pesquisa, afirma que os resultados comprovam a igual preocupação por parte dos pais tanto nos problemas reais, como álcool e violência, quanto em que seus filhos consomem como mídia. Cheryl K. Olson, que escreveu o livro Grand Theft Childhood, diz que para os pais controlar se seus filhos bebem ou não é mais fácil do que aquilo que eles jogam, afinal boa parte deles não está familiarizada com o funcionamento dos jogos e dos controles de acesso.

Na primeira fase da pesquisa foi perguntado o que mais incomodaria os pais dentro de um jogo: um homem e uma mulher fazendo sexo (37%), dois homens se beijando (27%), uma cabeça decepada (25%) ou uso de palavras de baixo calão (9%). Na segunda, entre as perguntas estava o que mais preocuparia um pai se seu filho de 17 anos fosse dormir fora de casa: ele fumar maconha (49%), jogar GTA (19%), assistir pornografia (16%) e beber cerveja (14%).

Os resultados de uma pesquisa como esta no Brasil só ficaria diferente quanto ao consumo de álcool, afinal por aqui os adolescentes começam a beber muito desde muito jovens. Já quanto às preocupações relacionadas a jogos eletrônicos o resultado deveria ser parecido, somente trocando GTA por CS, uma vez que o jogo foi proibido e recebeu uma grande atenção da mídia, inclusive do Fantástico, que deve ter dado sua visão profunda do assunto (admito que não a assisti), assim como faz com qualquer coisa que aparece no programa. Os pais, tanto daqui quanto dos EUA deveriam deixar de ter medo da tecnologia e tentarem aprender como estes jogos funcionam, assim poderiam ter uma visão melhor do assunto.

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails

  © Free Blogger Templates Columnus by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP  

Google+